Esta Rádio tem a direção geral do Espírito Santo de Deus

Baixe nosso aplicativo

Arthur Callazans: “Os collabs são cumprimento de profecia”

Arthur Callazans: "Os collabs são cumprimentos de profecia" O cantor Arthur Callazans se tornou conhecido após parcerias com ...

Arthur Callazans: "Os collabs são cumprimentos de profecia"

O cantor Arthur Callazans se tornou conhecido após parcerias com nomes fortes da música gospel brasileira, como Aline Barros, Fernanda Brum e agora Bruna Karla. Mas ele também é o nome por trás da preparação do EP internacional de Bruna, a quem ajudou como coach de idioma.

Além de artista, Callazans é pastor, atua como diretor de um grande grupo de comunicação com 37 rádios e sete canais de televisão. Callazans afirmou que ajudar nas gravações do EP em espanhol de Bruna Karla foi um presente. O cantor ainda conversou com o Pleno.News sobre sua carreira no Brasil e no exterior, ministério e produções musicais.

Arthur, como foi o início da sua vida sacerdotal e na música gospel? Você virou líder rapidamente, sentiu resistência por ser tão jovem?
Aos 15 anos fui para uma igreja bem grande na minha cidade, em Ipatinga, Minas Gerais, e comecei a ministrar o Ministério de Louvor de lá. Logo me tornei líder de jovens, aos 15 anos. Foi uma experiência muito ousada para mim, mas fiquei muito feliz com o resultado. Aí comecei a desenvolver uma parte musical que, até então, não sabia que seria o rumo da minha vida por completo. Com certeza senti resistência. É complicado porque, por mais que tenha experiência (mesmo jovem), você encontra um pouquinho de resistência de pessoas de mais idade, uma dúvida deles. Mas eu penso que a gente não pode subestimar ninguém. E o resultado positivo foi notório. Os frutos apareceram e ficou tudo em paz.

E como foi o processo de escolher o ministério?
Eu estava orando para decidir se iria fazer faculdade de Engenharia Civil ou se ficaria na igreja em tempo integral. Foi meu primeiro jejum integral de sete dias. Eu estava no monte e lá Deus enviou uma pessoa para confirmar aquilo que eu estava pedindo. Uma pessoa completamente desconhecida! E eu não tinha falado para ninguém que eu estava orando no monte. Eu sempre fui apaixonado por igreja, estar em todos os cultos, nos ensaios, estudos bíblicos, na Escola Bíblica. De verdade! Eu sempre falo que eu nasci para o altar. Quando eu recebi esse direcionamento de Deus não foi dolorido. Eu recebi mais oposições de outras pessoas do que de mim mesmo. Eu estava super feliz.
Depois disso você foi aos Estados Unidos e lá ficou ajudando uma igreja de hispanos. Como é ser um brasileiro vivendo nos Estados Unidos e falando em espanhol?
Na minha igreja são 25 países dentro da mesma igreja. É uma mistura de pessoas de El Salvador, México, Venezuela, Colômbia… Cada um tem um dialeto, uma cultura, um sotaque. Pela graça dos meus pastores, que hoje são os meus sogros, eu aprendi o espanhol global, que é aquele sem sotaques, que evita algumas palavras que são ofensivas em certas culturas… Pode comunicar com todos os países sem ter problema.

Como é o seu trabalho à frente de um grupo de comunicação cristão nos Estados Unidos?
A minha igreja em Minas tinha uma rádio e já dava muito trabalho (risos). Quando eu vi que a igreja dos Estados Unidos tinha 37 rádios eu fiquei (assustado)! Como vai ser conduzir tudo isso? Tudo é feito em espanhol e agora estamos começando a inserir alguns programas em português por causa das parcerias que estamos fazendo. Através das nossas rádios eu me conectei com toda a América Latina em parcerias para crescer, fazer alianças e expandir o Reino através das rádios.
Você investe muito em collabs na sua carreira musical. Por que acha interessante este modelo?
Deus fez uma promessa de que eu seria uma ponte entre culturas. E eu quero unir. Os collabs (colaborações musicais) são para trazer o povo da América Latina para o Brasil e levar o Brasil para o restante da América Latina. Nós temos muito em comum! A forma de expressar e de adorar dos brasileiros e dos hispanos… A ideia do collab é unir e é o cumprimento da profecia.

E qual a sua expectativa para a colaboração com a Bruna Karla no próximo álbum dela?
Para mim foi um presente o EP em espanhol da Bruna Karla. E ela é incrível! Consegue alcançar um público pentecostal e worship. Aqui no Brasil a gente está saturado de cantores pentecostais, mas lá fora não tem. É uma lacuna que está vazia. Então acredito que a Bruna e outros cantores da MK Music que vão vir, creio, poderão preencher essa lacuna. E para mim foi um presente estar com a Bruna Karla, ela tem o coração de Deus.

Confira a entrevista na íntegra no vídeo e podcast acima.

Fonte: Pleno News

COMENTARIOS